PORTALRGNUTRI

Influência da suplementação de carboidratos em atletas na função imune

abril 14, 2017

É sabido que o exercício prolongado reduz acentuadamente os níveis de glicogênio muscular, tornando constante a preocupação com sua reposição correta. Dessa forma, a ingestão de uma dieta rica em carboidratos é fundamental para o desempenho de todas as atividades esportivas, em todos os seus níveis, mas principalmente nos exercícios de alta intensidade e longa duração.
A lesão tecidual que ocorre após o exercício intenso e prolongado provoca uma resposta de fase aguda no nosso sistema imunológico, caracterizada pela liberação de citocinas pró inflamatórias e fator de necrose tumoral, sendo que essas atuam sinergicamente. Além disso, citocinas pró inflamatórias liberadas em resposta à lesão muscular induzida pelo exercício exaustivo estimulam o eixo hipotálamo-hipófise-adrenal (HHA), sendo que isto promove aumento da liberação do cortisol ao mesmo tempo em que limita a liberação de interleucinas. É válido ressaltar que a diminuição da concentração plasmática de glicose está relacionada com a ativação do eixo HHA e o subsequente aumento da síntese e liberação de cortisol.
Uma série de intervenções nutricionais tem sido testada com o intuito de modular os efeitos induzidos pelo exercício intenso e prolongado sobre a resposta inflamatória e imune, sendo que os resultados mais positivos são observados com a suplementação de carboidratos. Alguns estudos recentes têm relacionado a ingestão de carboidratos durante o exercício de resistência aeróbica a fatores tais como: redução das respostas do cortisol, menor perturbação da contagem do número de células do sistema imune no sangue e diminuição da atividade fagocitária e oxidativa dos granulócitos e monócitos.
Em um estudo realizado com 16 judocas, foi observado que a ingestão de bebida carboidratada pelos atletas durante uma sessão de treino resultou em uma possível proteção à saúde imunológica dos atletas. Em um outro estudo realizado com dez triatletas foi avaliado o efeito do exercício e da ingestão de uma bebida contendo carboidrato (6%) versus placebo sobre a resposta imune após 2,5h de corrida ou ciclismo. Foi observado que a ingestão de carboidrato, mas não a modalidade de exercício, influenciou significativamente as respostas plasmáticas de glicose e hormônios, promovendo diminuição das alterações na contagem de leucócitos e de citocinas no sangue.
Sendo assim, estes estudos indicam que atletas que utilizam desta estratégia nutricional em exercícios prolongado e intensos podem minimizar o estresse fisiológico e, com isso, proteger o sistema imunológico.

 

Referências bibliográficas:
1. Bishop NC, Blannin AK, Robson PJ, Walsh NP, Gleeson M. The effects of carbohydrate supplementation on immune responses to a soccer-specific exercise protocol. J Sports Sci. 1999 Oct;17(10):787-96.
2. Henson DA, Nieman DC, Blodgett AD, Butterworth DE, Utter A, Davis JM, Sonnenfeld G, Morton DS, Fagoaga OR, Nehlsen-Cannarella SL. Influence of exercise mode and carbohydrate on the immune response to prolonged exercise. Int J Sport Nutr. 1999 Jun;9(2):213-28.
3. Mendes EL, Brito C.J, Batista ES, Silva CHO, Paula SO., Natali AJ. Influência da suplementação de carboidrato na função imune de judocas durante o treinamento. Rev Bras Med. 2009. 15(1):58-61.
4. Nieman DC, Henson DA, Smith LL, Utter AC, Vinci DM, Davis JM. Cytokine changes after a marathon race. J Appl Physiol. 2001. 91(1):109-14.
5. Nieman DC. Current perspective on exercise immunology. Curr Sports Med Rep. 2003. 2(5):239-42.
6. Nieman DC, Bishop NC. Nutritional strategies to counter stress to the immune system athletes, with special reference to football. J Sports Sci. 2006. 24: 763-72.
7. Nieman DC. Marathon training and immune function. Sports Med. 2007. 37:412-5.
8. Hernadez AJ, Nahas RM. Modificações dietéticas, reposição hídrica, suplementos alimentares e drogas: comprovação de ação ergogênica e potenciais riscos para a saúde. Rev Bras Med Esporte. 2009. 15(3):3-12.