PORTALRGNUTRI

FODMAP

setembro 15, 2017

FODMAP é a sigla em inglês para Fermentable Oligosaccharides, Disaccharides, Monosaccharides and Polyols (Oligossacarídeos, Dissacarídeos, Monossacarídeos e Polióis fermentáveis). Em outras palavras, são componentes de nossa alimentação que podem ser rapidamente fermentados pelos micro-organismos que habitam nosso intestino. Segundo a Sociedade Brasileira de Nutrição Parenteral e Enteral (2016), o termo “FODMAPs” engloba todos os carboidratos que nosso organismo não é capaz de digerir, e que apresentam grande capacidade de atrair água quando chegam ao intestino.
Para compreender melhor quem faz parte desses componentes da alimentação, é importante saber que os carboidratos são formados por unidades menores, chamadas de monossacarídeos, sendo a glicose um bom exemplo. Quando um monossacarídeo se junta a outro, forma-se um dissacarídeo. Já os oligossacarídeos correspondem à junção de duas a dez unidades de monossacarídeos. Os polióis, por sua vez, são conhecidos como “álcoois de açúcar” e, apesar de não serem propriamente carboidratos, possuem sabor doce, sendo habitualmente utilizados como “substitutos do açúcar”. Talvez você já tenha ouvido falar ou lido a respeito do xilitol, manitol e sorbitol, , polióis bastante usados em produtos como gomas de mascar, doces, sorvetes, produtos de panificação e geleias de frutas.
Na tabela abaixo estão alguns exemplos de alimentos que contém FODMAPs naturalmente.

FODMAPS
Por conta das já citadas características dos FODMAPs durante a digestão, esses alimentos, em algumas pessoas, podem desencadear diarreias, inchaço, gases e dores abdominais. Indivíduos que apresentam a Síndrome do Intestino Irritável (SII) apresentam esses sintomas com frequência ao consumir certos alimentos e, por esse motivo, estudos mostram que grande parte deles se beneficia de uma alimentação com baixo teor de FODMAPs.
Se você apresenta sintomas como estes mencionados acima, ou é portador da SII, recomenda-se procurar um nutricionista para uma correta e individualizada orientação nutricional.

 

Referências Bibliográficas:

Federação Brasileira de Gastroenterologia. Dieta com baixo teor de fodmaps. 2016. Disponível em: http://www.fbg.org.br/Conteudo/2248/49/Dieta+com+baixo+teor+de+fodmaps
Halmos EP, Power VA, Shepherd SJ, Gibson PR, Muir JG. A diet low in FODMAPs reduces symptoms of irritable bowel syndrome. Gastroenterology 2014;146(1):67-75.
Sociedade Brasileira de Nutrição Parenteral e Enteral. O que é FODMAP. 2016. Disponível em: http://www.sbnpe.com.br/news-braspen/o-que-e-fodmap/
Soares RL. Irritable bowel syndrome: a clinical review. World J Gastroenterol 2014; 20(34):12144-60.