BLOG

Estrategia em Alimento

ÍNDICE GLOBAL DE SUSTENTABILIDADE 2017

Em dezembro de 2017 foi publicado o resultado anual do “Food Sustainability Index 2017” (segunda edição do índice, realizado pela primeira vez em 2016), elaborado por The Economist Intelligence Unit. O índice classificou 34 países através da análise de ações e resultados em 3 principais pilares: agricultura sustentável, desafios nutricionais e desperdício de alimentos. O documento publicado é também um benchmark de iniciativas neste sentido, além de mensurar o progresso de cada país no caminho para uma alimentação mais sustentável.
Pelo segundo ano a França teve o 1° lugar na classificação, seguida pelo Japão, Alemanha, Espanha, Suécia, Portugal, Itália, Coreia do Sul e Hungria. Em geral, estes países demonstram políticas governamentais fortes e com implementação efetiva contra o desperdício de alimentos, pesquisa relacionada a agricultura sustentável e ações de educação nutricional. Além desses pontos, são consideradas no ranking questões sobre estilo de vida, como indicadores sociais e climáticos – nível de atividade física da população, composição da dieta, taxa de participação das mulheres na agricultura e momentos de escassez de água doce.
Na categoria da agricultura sustentável quem ficou à frente foi a Itália, se destacando principalmente em questões relacionadas ao uso consciente da água – o país é pioneiro em desenvolvimento de novas técnicas para redução de perda de água; na sustentabilidade das pescarias também está à frente se comparado a outros países.
O Japão obteve o melhor desempenho quando o assunto foi a Nutrição e seus desafios, refletindo os altos índices de qualidade de vida, expectativa de vida e padrões alimentares dos japoneses. O país ainda conseguiu se livrar completamente da das deficiências de vitamina A e Iodo, por exemplo. E mais: a educação nutricional é matéria obrigatória nas escolas japonesas.
A campeã França apresentou a melhor performance no pilar do desperdício, resposta às políticas para reduzir o desperdício de alimentos principalmente na distribuição e através dos usuários finais. O país desperdiçou apenas 1,8% de sua produção total de alimentos no ano. Um exemplo interessante que ajudou a França a atingir esta posição é o da legislação aprovada no início de 2016, que proíbe que os supermercados descartem produtos próximos à sua data de validade e, em vez disso, os obriga a doá-los a instituições de caridade ou bancos de alimentos.
O Brasil ocupa o 28° lugar no ranking, o último grupo de colocados, que engloba também: Arábia Saudita, Egito, Marrocos, Tunísia, Líbano, Indonésia, Índia e Emirados Árabes. O Brasil e muitos países ao redor do mundo têm muito a fazer sobre a sustentabilidade – planejamento e ação já!

 

Referências bibliográficas:
1. The Economist Intelligence Unit. Food Sustainability Index 2017. Disponível em: http://foodsustainability.eiu.com/wp-content/uploads/sites/34/2016/09/FoodSustainabilityIndex2017GlobalExecutiveSummary.pdf. Acesso em dezembro de 2017.
2. The Economist Intelligence Unit. Food Sustainability Index 2017 Infographic. Disponível em: http://foodsustainability.eiu.com/wp-content/uploads/sites/34/2017/11/Infographic-KEY-FINDINGS.pdf. Acesso em dezembro de 2017.