PORTALRGNUTRI

Como deixar meus produtos mais saudáveis no mercado de alimentos?

agosto 2, 2018

O perfil de muitos brasileiros mudou na hora de comprar alimentos. Hoje, muitos priorizam produtos mais saudáveis, estão mais exigentes quanto à qualidade e aos ingredientes que consumirão. Isso tem se tornado um desafio para as empresas: muitas deverão inovar para se manterem fortes no mercado.

Algumas das estratégias adotadas pela maioria das marcas que pretendem se adequar ao que o consumidor deseja, começam por melhorias nos produtos. Várias empresas já fizeram alterações em seus itens, como a diminuição de aditivos, teor de sódio, do percentual de açúcar e de gordura, dentre outras modificações significativas.

Neste artigo, vamos dar algumas sugestões de como tornar seus produtos mais saudáveis, ajustando-os às exigências do novo consumidor. Acompanhe!

1. Produzir alimentos honestos

Os alimentos honestos são aqueles que cumprem com o que é esperado no seu rótulo, ou seja, são fiéis ao que se propõem. Por exemplo, se um produto é percebido pelo consumidor como “leite saborizado”, é isso que deverá constar como seu primeiro ingrediente: leite e não algum outro ingrediente que esteja distante do leite. Os ingredientes sempre aparecem em ordem de quantidade e mais consumidores estão atentos a isso. A transparência é uma tendência que anda lado a lado com a honestidade e será, além de essencial, responsável, também, pela captação de novos consumidores.

O que o empreendedor deve ter em mente é que, na era da informação, as pessoas se tornaram mais atentas, principalmente em termos nutricionais. O que antes não era importante para elas passou a ser, como verificar e analisar o rótulo dos produtos. Claro que muitas pessoas ainda não se atentam ao rótulo, mas como toda tendência, sabemos que ela tende a se consolidar na população ao longo dos anos, e a marca que se comporta pró-ativamente a elas, ao invés de reativamente, carrega vantagem competitiva!

2. Fabricar produtos com alimentos verdadeiros

Sabe aqueles produtos que tem uma quantidade enorme de ingredientes no rótulo? Pois é, isso pode ser evitado. A lista deve procurar conter mais alimentos verdadeiros do que aqueles “desconhecidos” que têm como objetivo apenas agregar consistência e volume. Para isso, vamos usar a máxima de “menos é mais” e aproveitar diversas novas formas de produzir alimentos que permitem esse “cleaning the label”.

Sendo assim, torna-se mais confiável aos olhos do consumidor um rótulo com informações simples, poucos ingredientes, mas que esclareçam tudo sobre o produto. A fidelização de seus consumidores pode ser construída com essa transparência.

3. Buscar alternativas para reduzir a quantidade de aditivos e de conservantes artificiais

A questão que leva o consumidor a buscar alimentos saudáveis e o mais próximo possível de sua origem envolve muitos fatores. Um deles é a redução na quantidade de aditivos e de conservantes artificiais presentes na maioria dos produtos industrializados. Hoje em dia, muitos dos conservantes artificiais podem ser substituídos por tecnologias de processo e produtos naturais.

A área de Pesquisa e Desenvolvimento de produtos — o chamado P&D — pode encontrar soluções para diminuir esses teores. O consumidor estará mais atento a isso.

4. Ter um olhar crítico com itens como açúcar, sódio e gorduras

As marcas estão buscando tornar seus produtos os mais próximos possíveis da alimentação natural. Ingredientes como sódio, gordura e açúcar devem ser utilizados de forma mais comedida, visto que tais substâncias são prejudiciais à saúde quando consumidas em excesso.

Dessa forma, entre as estratégias adotadas pelas empresas para se adequarem à nova realidade, estão as mudanças nas fórmulas dos produtos. Suas novas versões apresentam-se mais saudáveis, contendo menos açúcar, sódio e gorduras — além da diminuição das embalagens que é uma maneira de controlar o consumo.

5. Não usar gorduras trans e diminuir o uso de gorduras saturadas

A gordura trans está presente na maioria dos produtos industrializados e é considerada a principal vilã entre as gorduras existentes. As marcas estão, aos poucos, retirando esse item de seus produtos. Aliás, a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) estuda medidas severas quanto ao uso dessa substância, que vão desde a diminuição de seu uso até a sua proibição.

Além disso, é importante minimizar o teor das demais gorduras nos produtos alimentícios, pois elas também não devem ser consumidas em excesso. O consumidor é muito exigente quanto a isso também.

Como você pôde observar neste artigo, para se adequar às novas tendências, algumas modificações devem ser feitas para atingir o seu público-alvo. Produtos mais saudáveis passaram a ser uma exigência de muitos consumidores bem informados.

Gostou destas sugestões para tornar seus produtos mais atrativos e saudáveis para o seu consumidor? Continue com sua visita e leia, também, o artigo sobre a evolução no cálculo de calorias dos alimentos!