BLOG

Orientação e bem estar

SUPLEMENTAÇÃO DE ANTIOXIDANTES EM PRATICANTES DE EXERCÍCIO FÍSICO

Durante a prática de exercício físico produzimos uma maior quantidade de radicais livres (RL). Este fenômeno apesar de natural, por necessitarmos de oxigênio, é conhecido por produzir efeitos negativos, como lesões em órgãos e tecidos, além de limitar o desempenho esportivo e, por isso, leva a uma maior propagação da ingestão de antioxidantes por atletas.
Apesar desta produção de RL, os exercícios de intensidade baixa a moderada possui por si só um papel antioxidante, o que implica em efeitos benéficos no exercício em longo prazo.
Suplementar com antioxidantes, tanto naturais quanto sintéticos, como vitamina A, C e E, flavonoides, ômega-3, licopeno, selênio, além de multivitamínicos, pode ter efeitos favoráveis na defesa antioxidante. Essa hipótese já tem sido evidenciada geralmente com o uso de vitamina E ou C associada a algum outro antioxidante, em que se observa melhora na sensibilidade a insulina induzida pelo treino e na capacidade física de resistência. Outro antioxidante que tem sido utilizado é o resveratrol, que confere aumento da produção de antioxidantes, entre outros.
Porém, é necessária cautela em atletas que tomam excesso de antioxidantes exógenos pois também podem inibir a resposta celular ideal ao exercício, por afetar o equilíbrio entre as forças pró e antioxidante, impactando negativamente a ventilação, lactato sanguíneo, percepção de fadiga e desempenho esportivo. Assim, é necessária uma avaliação individualizada por um nutricionista especialista em esporte, antes de realizar uma suplementação, levando em consideração tipo de exercício e intensidade.


Referências Bibliográficas

HOENE, Miriam et al. A Vitamin E-Enriched Antioxidant Diet Interferes with the Acute Adaptation of the Liver to Physical Exercise in Mice. Nutrients, [s.l.], v. 10, n. 5, p.547-560, Apr/2018.

POTORĂ, Cristian Simion et al. Effects of moderate exercise and a multiple vitamin and mineral complex on the arterial wall. Romanian journal of morphology and embryology, v. 59, n. 1, p. 249, 2018.

BROWN, Daniel R. et al. Astaxanthin in Exercise Metabolism, Performance and Recovery: A Review. Frontiers In Nutrition, [s.l.], v. 76, n. 4, p.1-1, 18 Jan. 2018.

HARAMIZU, Satoshi et al. Dietary resveratrol confers apoptotic resistance to oxidative stress in myoblasts. The Journal Of Nutritional Biochemistry, [s.l.], v. 50, n. 1, p.103-115, Dec. 2017.

PEREIRA, Benedito. Biogenêse mitocondrial e exercício físico: hipótese do acoplamento elétrico-transcripcional. Revista Brasileira de Educação Física e Esporte, São Paulo, v. 29, n. 4, p. 687-703, Dec. 2015.

FRANZKE, Bernhard et al. Age and the effect of exercise, nutrition and cognitive training on oxidative stress – The Vienna Active Aging Study (VAAS), a randomized controlled trial. Free Radical Biology And Medicine, [s.l.], v. 121, n. 1, p.69-77, Jun. 2018.