BLOG

Estrategia em Alimento

Como as startups de foodtech estão transformando o mercado?

Hoje em dia é cada vez mais comum usar o telefone celular para comprar produtos e contratar serviços. Com a comida não é diferente. Ficou fácil pedir uma refeição em um restaurante ou fazer as compras de supermercado sem sair de casa. Tudo isso a apenas um ou dois cliques no aplicativo.

Em um mundo conectado e corrido, uma nova tendência tem ganhado adeptos: a foodtech. Esse movimento chegou para ficar e mudar a forma como nos relacionamos com os alimentos. Quer saber mais sobre o assunto? Continue a leitura deste artigo e se informe!

O conceito de foodtech

Esse termo é usado para identificar o movimento que alia a tecnologia aos alimentos. Ou seja, qualquer inovação aplicada para transformar a maneira como são produzidos, comercializados e servidos. As novas técnicas são empregadas para melhorar a cadeia produtiva, a rede de fornecimento e os canais de distribuição.

A ideia por trás de tudo isso é garantir o acesso à comida para todos de forma mais sustentável para evitar, principalmente, o desperdício de alimentos. O movimento ainda é recente no Brasil: hoje, há cerca de 90 startups no setor de alimentos.

São muitas as áreas de atuação com FoodTech. Por exemplo, existem empresas de entrega de refeições até aquelas especializadas em vender frutas e legumes considerados “feios”, mas excelentes para o consumo.

Recentemente, a Whole Foods Market, maior foodtech do mundo, foi comprada pela Amazon, representando grande crescimento e um leque de oportunidades para o setor.

Algumas startups de foodtech no Brasil

Cada vez mais temos iniciativas que unem comida e tecnologia no país. Veja algumas delas a seguir.

Rappi

Essa plataforma de delivery atua em diversos países da América Latina e tem feito bastante sucesso. Ela inovou ao entregar não somente pratos de restaurantes, mas produtos de supermercados, de lojas de conveniência, de farmácias etc. A companhia também oferece o Rappi Prime, um plano mensal que garante entrega grátis ilimitada.

Ndays

O site vende produtos para consumo imediato e com bons preços, ou seja, adiciona ao catálogo itens que estão prestes a vencer. Assim, você pode fazer uma pesquisa por meio da data de vencimento e comprar o que deseja. A plataforma vende alimentos, bebidas, produtos de limpeza e de higiene pessoal etc.

Supermercado Now

Com atuação também em São Paulo, a plataforma permite a compra de itens básicos para a casa, com recebimento em até duas horas ou em outro horário agendado. Eles têm compradores e entregadores preparados para atender os consumidores. O pagamento também pode ser feito pelo cartão de crédito no site.

Outros movimentos do setor de alimentos

Para que o setor se desenvolva ainda mais, há algumas iniciativas no país, como o Foodtech Movement. A ideia é mapear as food startups e trabalhar em conjunto para enfrentar os novos desafios e estabelecer soluções e crescimento para a foodtech. O movimento conta com parcerias para criar uma cadeia de inovação.

E não para por aí. Existem outras mobilizações, como o ForwadFooding, plataforma de financiamento coletivo e mapeamento de food startups para trabalhar com soluções em agronegócio e processamento de alimentos

Além disso, essa marca ainda engloba consumer-direct, utensílios inteligentes e gestão de restaurantes, comida e bebida das próximas gerações, desperdício de excedentes, segurança alimentar, comida e bebida on-demand, aplicativos de comida e delivery de alimentos.

Como percebemos, as startups de foodtech estão revolucionando o mercado de alimentos desde a produção até o armazenamento e a distribuição. Todos podem fazem parte dessa mudança, que promete modificar a nossa relação com a comida.

Gostou do assunto e quer ficar por dentro de outras novidades? Assine a nossa newsletter e receba conteúdos diretamente no seu e-mail!