buscar:      

siga-nos:


Aparelho Digestório (parte i) - Boca, Esôfago, Estômago
Saúde & Performance - Fisiologia

O trato digestivo fornece ao organismo um suprimento contínuo de nutrientes, água e eletrólitos por meio de movimentos do mesmo, secreção de sucos digestivos e digestão do alimento, absorção e circulação sanguínea pelos órgãos gastrintestinais para remover as substancias absorvidas. O controle de todas estas funções é feito pelo sistema nervoso.

 

 

No decorrer de todo o processo digestivo, o alimento passa pelos seguintes órgãos nesta ordem respectivamente:


- Boca
- Esôfago
- Estômago
- Intestino Delgado
- Intestino Grosso
- Ânus

Também existem os órgãos anexos ao sistema digestório, ou seja, participam indiretamente da digestão. São eles:

  • Glândulas salivares
  • Pâncreas
  • Vesícula biliar

1. BOCA Os dentes são órgãos destinados à mastigação. São divididos basicamente em incisivos e molares. Os incisivos exercem forte ação de corte dos alimentos enquanto os molares proporcionam a trituração. Funcionando ao mesmo tempo, os músculos da mastigação podem proporcionar na boca uma força total de 115kg.Grande parte do processo de mastigação é causada pelo reflexo da mastigação, onde a inibição dos músculos da mastigação permite o relaxamento da mandíbula, o que leva a uma contração de rebote elevando automaticamente a mandíbula provocando o fechamento dos dentes. Esse movimento se repete cada vez que o bolo alimentar é comprimido contra as paredes da boca. A função do processo de mastigação está em auxiliar a digestão, pois uma boa mastigação, por deixar o alimento em pequenos pedaços, aceleram a digestão, evita escoriações do tudo gastrointestinal e facilita a passagem do alimento desde o estômago até os demais órgãos.Na dieta humana normal, existem 3 fontes principais de carboidratos: sacarose, lactose e o amido. Destes, o único que sofre o processo de digestão na boca é o amido, devido à influência da enzima ptialina ou amilase salivar. Esta hidrolisa o amido até a forma de dissacarídeo (maltose) ou até outros pequenos polímeros da glicose. A digestão de gorduras e proteínas tem seu inicio no estômago e intestino.Após a mastigação, o bolo sofre a deglutição, que pode ser dividida em 3 etapas:Etapa voluntária: etapa que dá início ao processo de deglutição. O alimento é empurrado voluntariamente até a faringe pela pressão da língua. Etapa faríngea: consiste na passagem alimento da faringe para o esôfago. E por fim a etapa esofágica, outra fase involuntária que promove a passagem da faringe para o estômago.2. ESÔFAGO A principal função do esôfago é conduzir o alimento da faringe para o esôfago. Normalmente isso acontece através de 2 movimentos peristálticos, primário e secundário.O primeiro é simplesmente a continuação da onda peristáltica que se inicia na faringe e se propaga para o esôfago. As ondas peristálticas secundárias são resultantes da distensão do esôfago que duram até que o alimento tenha passado todo para o estômago

Na porção inferior do esôfago, o músculo circular esofágico funciona como esfíncter esofágico inferior. Quando uma onda peristáltica de deglutição se propaga pelo esôfago, relaxa o esfíncter esofágico inferior permitindo fácil passagem do alimento para o estômago. 3. ESTÔMAGO São 3 as funções do estômago: armazenamento de grandes quantidades de alimento até quem possam ser processadas pelo duodeno (região superior do intestino delgado); mistura do alimento com as secreções gástricas; promover lenta passagem do alimento para o intestino delgado para que este realize adequadamente a digestão e a absorção.O armazenamento do alimento acontece à medida que este entre no estômago formando camadas concêntricas no corpo do estômago, como se fosse um caracol.Na mistura e propulsão, os sucos digestivos do estômago são secretados recobrindo toda a parede do corpo do estômago. Essas secreções entram imediatamente em contato a porção de alimento armazenado. Ondas peristálticas fracas deslocam-se em direção ao antro ao longo da parede do estômago, aproximadamente 1 a cada 20 segundos. À medida que estas ondas percorrem o estômago, além de misturar o alimento com os sucos gástricos, deslocam lentamente o alimento em direção ao piloro (porção superior do intestino delgado).

As proteínas são digeridas principalmente no estômago, iniciando com a enzima pepsina que as decompõe em proteoses, peptonas e grandes polipeptídeos. Essa enzima só funciona em pH altamente ácido, sendo particularmente importante por sua capacidade de digerir o colágeno, muito pouco afetado por outras enzimas. Como o colágeno é um constituinte importante do tecido fibroso presente na carne, é essencial a atuação da pepsina para que o restante das enzimas consigam dar continuidade ao processo de digestão. Portanto o ácido clorídrico secretado do estômago é essencial para o processo de digestão. Entretanto, normalmente apenas de 10 a 20% da digestão protéica total ocorre no estomago. A maior parte desse processo acontece na porção superior do intestino delgado. Embora pequena quantidade de gordura possa ser digerida no estômago sob a atuação da lípase gástrica, 95 a 99% de toda a digestão de gordura ocorre no intestino delgado.Existem também as contrações de fome, que ocorrem quando o estômago permanece vazio por muitas horas. Dessa forma, essas contrações são um importante meio pelo qual o trato digestório intensifica desejo de comer. Em seguida ocorre o esvaziamento do estômago promovido também por ondas peristálticas. O alimento passa lentamente do estômago para a primeira porção do intestino delgado, o piloro.