buscar:      

siga-nos:


A Digestão dos Alimentos
Saúde & Qualidade de Vida - Curiosidades

A digestão e a absorção dos alimentos não ocorrem em uma única etapa, estes são processos contínuos com várias reações químicas e mecânicas ocorrendo simultaneamente, portanto qualquer falha em alguma das fases dificulta as demais (MAHAN E STUMP, 2003).

O sistema digestivo se estende da boca ao ânus (MAHAN E STUMP, 2003).

Da boca ao esôfago

Na cavidade bucal a saliva atua como um lubrificante, umedecendo os alimentos. Essa saliva é capaz de hidrolisar o amido em maltose ou até outros polímeros de glicose através de sua enzima amilase salivar (ptialina) (HARPER et al., 1985).

Os dentes são órgãos admiravelmente projetados para a mastigação, cujo qual auxilia na digestão do alimento e aumenta a facilidade com que este seja lançado do estômago para o intestino delgado, e então para os demais segmentos do intestino (GUYTON, 1998).

Quando o alimento está pronto para ser deglutido, é voluntariamente comprimido e empurrado para trás até a faringe, em um ato reflexo. Toda a etapa faríngea da deglutição ocorre em menos de dois segundos, interrompendo assim a respiração por apenas uma fração do ciclo respiratório habitual. Mesmo quando a pessoa está falando, a deglutição interrompe a respiração por um tempo tão curto que dificilmente é percebido (GUYTON, 2005).

O esôfago transporta alimentos e bebidas da cavidade oral e faringe para o estômago e seus movimentos são organizados especificamente para essa função (MAHAN E STUMP, 2003; GUYTON, 2005).

Estômago

Uma vez no estômago, os alimentos são diluídos com mais fluídos e misturados com enzimas proteolíticas. Até este ponto ocorreram pequenas quantidades de digestão de amido e lipídeos, mas a principal função digestiva do estômago é a digestão parcial das proteínas (MAHAN E STUMP, 2003; HARPER et al., 1985).

Quando os alimentos estão na consistência e concentração apropriadas, o estômago permite a passagem de seu conteúdo para o intestino delgado.

Do intestino ao ânus

No intestino se dá a maior parte da digestão, já que cerca de 90% dos alimentos ingeridos são absorvidos durante a passagem por seus oito metros. Nos primeiros cem centímetros ocorre a digestão e a absorção da maioria dos gêneros ingeridos. Ao longo do comprimento restante, macronutrientes, minerais, vitaminas, oligoelementos e a maioria da água remanescente são absorvidos antes de atingir o cólon, tornando este conteúdo então gradualmente mais sólido ao atingi-lo (MAHAN E STUMP, 2003; HARPER et al., 1985).

Existem duas vias gerais para o transporte das substâncias absorvidas pelo intestino: as veias do sistema porta, que vão diretamente ao fígado; e os linfáticos da área intestinal que, ao fim, vão ter ao sangue por intermédio do sistema linfático e do ducto torácico (HARPER et al., 1985).

O cólon reabsorve os eletrólitos e alguns produtos finais da digestão, também fornece armazenamento temporário para produtos de excreção, que servem como um meio para a síntese bacteriana de algumas vitaminas.
E por fim o reto e ânus controlam a defecação (MAHAN E STUMP, 2003).

Referência Bibliográfica:

MAHAN, L. K., ESCOTT-STUMP, S. Krause: Alimentos, Nutrição e Dietoterapia.  10 ed. São Paulo: Roca, 2003.
GUYTON, A. C., HALL, J. E. Fisiologia Humana e Mecanismos das Doenças. 6 ed. Rio de Janeiro: Guanabara-Koogan, 1998
HARPER, Harold A.; W.RODWELL, Victor; MAYES, Peter A.. Manual de Química Fisiológica. 5ª São Paulo: Atheneu Editora Saõ Paulo Ltda, 1982.