buscar:      

siga-nos:


Micronutrientes Para Idosos
Saúde & Qualidade de Vida - Idosos

A população idosa brasileira vem crescendo nos últimos anos, e segundo as estimativas, a cada ano este percentual aumenta. O processo de envelhecimento é fisiológico, no entanto ocorrem algumas alterações anatômicas e funcionais. Com relação à alimentação algumas modificações podem influenciar negativamente no estado nutricional, entre elas a dificuldade de mastigação, diminuição de olfato e paladar, diminuição do consumo alimentar e em alguns casos, pode haver a diminuição de absorção por uso de medicamentos. (CAMPOS et al, 2005).

Diante deste quadro é necessário atenção ao estado nutricional dos idosos, sendo o foco deste texto os micronutrientes.

CÁLCIO

Mineral constituinte de ossos e dentes, utilizando 99% neste mineral no organismo humano. O 1% restante está presente em funções metabólicas como: contração muscular, estabilidade de membrana celular, liberação ou ativação de enzimas intra e extra celular, transmissão nervosa, coagulação sanguínea, entre outras. Encontrado em leite, queijos, iogurte e peixes.
Alguns fatores, além da quantidade ingerida, podem interferir nos níveis adequados de cálcio, como por exemplo: mulheres após a menopausa apresentam maior chance de balanço negativo de cálcio devido a redução de estrógeno e a grande prevalência de deficiência de vitamina D, nesta fase de vida. O uso regular de diuréticos e antiácidos, à base de hidróxido de alumínio, diminuem a reabsorção de cálcio. E a inatividade física, caso de indivíduos sedentários ou acamados, causa uma diminuição de massa óssea. (MARUCCI et AL, 2007).

Estudos demonstram que a suplementação de cálcio e vitamina D apresenta um aumento na densidade mineral óssea em mulher pós menopausa com a ingestão adequada de cálcio na dieta. (KARKKAINEN, M. et al, 2010).
Recomendação de ingestão diária


Mulheres de 51 a 70 anos

Mulheres a partir de 70 anos

Homens de 51 a 70 anos

Homens a partir de 70 anos

1200 mg/d

1200 mg/d

1200 mg/d

1200 mg/d

Fonte: Ingestão diárias recomendadas (DRI)

FÓSFORO

Presente nos ossos e dentes. Atua no metabolismo de carboidratos, contração muscular e está relacionado ao metabolismo do cálcio.  Está amplamente distribuído nos alimentos, sendo mínimas as necessidades de suplementação. Um fator que pode interferir na absorção deste mineral é o uso excessivo de antiácidos que contenham alumínio e fosfato, fármacos com carbonato de cálcio e bebida alcoólica em excesso. (MARUCCI et al, 2007)

Recomendação de ingestão diária


Mulheres de 51 a 70 anos

Mulheres a partir de 70 anos

Homens de 51 a 70 anos

Homens a partir de 70 anos

700 mg/d

700 mg/d

700 mg/d

700 mg/d

Fonte: Ingestão diárias recomendadas (DRI)

FERRO

Participa do transporte de oxigênio e gás carbônico, respiração celular e sistema imune.

Sua deficiência é caracterizada pela anemia do tipo ferropriva, podendo ser causada pela ingestão insuficiente do mineral ou por perda sanguinea gastrointestinal, por conta de doenças como câncer, úlcera e etc. Encontrado principalmente nas carne vermelhas.

Sua absorção poderá ser prejudicada pela presença do cálcio, diminuição de produção de fator intrínseco, diminuição da produção de ácido clorídrico gástrico. Além disso, cabe lembrar que o ferro de melhor absorção está presente em carnes, aves e peixe, devido a presença do aminoácido cisteína que aumenta a absorção do mineral. (MARUCCI et al, 2007)

Recomendação de ingestão diária


Mulheres de 51 a 70 anos

Mulheres a partir de 70 anos

Homens de 51 a 70 anos

Homens a partir de 70 anos

8 mg/d

8 mg/d

8 mg/d

8 mg/d

Fonte: Ingestão diárias recomendadas (DRI)

MAGNÉSIO

Presente principalmente intra-celular e nos ossos. Sua grande atuação está relacionada a ativação de inúmeras enzimas do metabolismo.

Estudos demonstram uma baixa ingestão deste nutriente em idosos, provavelmente pela diminuição do apetite e dificuldade no preparo dos alimentos, além disso pode haver uma absorção intestinal reduzida e uma excreção urinária aumentada, devido ao envelhecimento. (MARUCCI et al, 2007)

Recomendação de ingestão diária


Mulheres de 51 a 70 anos

Mulheres a partir de 70 anos

Homens de 51 a 70 anos

Homens a partir de 70 anos

320 mg/d

320 mg/d

420 mg/d

420 mg/d

Fonte: Ingestão diárias recomendadas (DRI)

ZINCO

Está relacionado a síntese e degradação dos macronutrientes, sistema imunológico e cicatrização.

Mineral presente em carnes, aves, peixes, leite e derivados, pode haver uma ligeira deficiência devido a alterações no paladar e olfato que ocasionam a diminuição da ingestão destes alimentos, no entanto não é recomendada a suplementação, porém alguns estudos indicam que a suplementação auxilia na resposta imunológica nos casos de deficiência. (NOVAES, 2005).

Recomendação de ingestão diária


Mulheres de 51 a 70 anos

Mulheres a partir de 70 anos

Homens de 51 a 70 anos

Homens a partir de 70 anos

8 mg/d

8 mg/d

11 mg/d

11 mg/d

SELÊNIO

Relacionado, principalmente, a proteção da células aos danos oxidativos.
Mineral presente principalmente na castanha do Brasil, frutos do mar, carnes e aves. (MARUCCI et AL, 2007)

Recomendação de ingestão diária


Mulheres de 51 a 70 anos

Mulheres a partir de 70 anos

Homens de 51 a 70 anos

Homens a partir de 70 anos

55 mg/d

55 mg/d

55 mg/d

55 mg/d


VITAMINA A

Desempenha papel importante na visão, crescimento e desenvolvimento ósseo, sistema imunológico e reprodução. Encontrada em alimentos como leite, ovos e frutas. (MARUCCI et AL, 2007)

Recomendação de ingestão diária


Mulheres de 51 a 70 anos

Mulheres a partir de 70 anos

Homens de 51 a 70 anos

Homens a partir de 70 anos

700 µg/d

700 µg/d

900 µg/d

900 µg/d

VITAMINA B 12

Essencial para o funcionamento adequado das células do organismo, especialmente as do trato gastrointestinal, tecido nervoso e medula óssea. Atua também no metabolismo de carboidratos, lipídeos e proteínas (Oliveira & Marchini, 1998; Vannucchi & Marchini, 2007).

Encontrada em alimentos como carne, ovos e leite.


Mulheres de 51 a 70 anos

Mulheres a partir de 70 anos

Homens de 51 a 70 anos

Homens a partir de 70 anos

1,5 mg/d

1,5 mg/d

1,7 mg/d

1,7 mg/d

Fonte: Ingestão diárias recomendadas (DRI)

VITAMINA C

Antioxidante solúvel, envolvido na biossíntese de colágeno e cartinina.

Sua deficiência, de forma geral, está relacionada a ingestão inadequada, uma vez que o organismos em estresse ou com a ingestão freqüente de alguns medicamentos, necessita  de uma maior ingestão. (MARUCCI et AL, 2007)

Recomendação de ingestão diária


Mulheres de 51 a 70 anos

Mulheres a partir de 70 anos

Homens de 51 a 70 anos

Homens a partir de 70 anos

75 mg/d

75 mg/d

90 mg/d

90 mg/d

Fonte: Ingestão diárias recomendadas (DRI)]

VITAMINA D

Importante no metabolismo do cálcio. Passa a forma ativa na presença da luz solar.
Prevalência de deficiência em idosos decorrente, principalmente, a diminuição da exposição ao sol e ingestão insuficiente de alimentos como: ovo, fígado, manteiga. (MARUCCI et AL, 2007)

Recomendada a suplementação para mulheres idosas com deficiência desta vitamina, pois auxilia a remodelação óssea e na diminuição da reabsorção. (VON et al, 2010)
Cabe lembrar que a suplementação sem necessidade pode induzir hipercalcemia e pode facilitar a calcificação de tecidos moles. (MARUCCI et AL, 2007)

Recomendação de ingestão diária


Mulheres de 51 a 70 anos

Mulheres a partir de 70 anos

Homens de 51 a 70 anos

Homens a partir de 70 anos

10 µg/d

15 µg/d

10 µg/d

15 µg/d

Fonte: Ingestão diárias recomendadas (DRI)

VITAMINA E

Sua principal função no organismo é antioxidante.  Não há estudos suficientes para a indicação de suplementação nos casos de doenças cardiovasculares. (MARUCCI et AL, 2007).

Porém em casos de deficiência a suplementação melhora a resposta imunológica. (NOVAES et al, 2005).

Recomendação de ingestão diária


Mulheres de 51 a 70 anos

Mulheres a partir de 70 anos

Homens de 51 a 70 anos

Homens a partir de 70 anos

15 mg/d

15 mg/d

15 mg/d

15 mg/d

Fonte: Ingestão diárias recomendadas (DRI)

VITAMINA K

Está amplamente relacionada a coagulação sanguinea.
Encontrada principalmente em verduras verdes, e pode ser sintetizada pela flora intestinal, no entanto pode ter sua produção prejudicada por medicamentos (sulfas e antibióticos) e laxantes.  (MARUCCI et AL, 2007)

Estudo demonstram que não existe beneficio adicional na suplementação de vitamina K na saúde óssea, considerando cálcio e vitamina D adequada (BOOTH et al, 2008)

Recomendação de ingestão diária


Mulheres de 51 a 70 anos

Mulheres a partir de 70 anos

Homens de 51 a 70 anos

Homens a partir de 70 anos

90 µg/d

90 µg/d

120 µg/d

120 µg/d

Fonte: Ingestão diárias recomendadas (DRI)

REFERÊNCIAS

BOOTH, S. L.; DALLAL, G.; SHEA, M. K.; JAMES, C.G.; PETERSON, W.; DAWSON-HUGHES, B. Effect of Vitamin K Supplementation on Bone Loss in Elderly Men and Women.  Clin Endocrinol Metab, vol. 93, n. 4 p. 1217–1223, Fev. 2008.

CAMPOS, M.T.F.S.; MONTEIRO, J.B.R.; ORNELAS, A.P.R.C. Fatores que afetam o consume alimentar e a nutrição do idoso. Rev. Nutr. Campinas, Vol. 13, n. 3, p. 157-165, set./dez., 2000.
KÄRKKÄINEN, M.;  TUPPURAINEN,  M.;  SALOVAARA, K.;  SANDINI , L.; RIKKONEN,  T.; SIROLA , J.; HONKANEN,  R.;  JURVELIN,  J.;  ALHAVA,  E.;  KRÖGER, H. Effect of calcium and vitamin D supplementation on bone mineral density in women aged 65-71 years: a 3-year randomized population-based trial. Osteoporos, Int. Mar., 2010

MARUCCI, M.F.N.; ALVES, R.P.; GOMES, M.M.B.C. Nutrição na geriatria. , S.M.C.S; MURA, J.D.P. Tratado de alimentação nutrição & dietoterapia. SILVA. São Paulo, Roca, 2007, p. 400-416.

NOVAES, M.R.C.G.; ITO, M.K., ARRUDA, S.F.; RODRIGUES, P.; LISBOA, A.Q. Suplementação de micronutrinetes na senescência: implicações nos mecanismos imunológicos. Rev. Nutr. Campinas, Vol.18, n.3, p. 367-376, maio/jun., 2005.

VON, H.P.R.; STONEHOUSE, W.; KRUGER,  M.C.; COAD, J. Vitamin supplementation suppresses age-induced bone turnover in older women who are vitamin d deficient. Steroid Biochem Mol. Biol, Mar., 2010.