BLOG

Abóbora

As abóboras pertencem à família Cucurbitaceaes que compreende mais de 800 espécies de frutas e vegetais, como: pepino, melão, melancia, além de todas as variedades de abóboras, como a moranga, a pescoço e a cabotia, nativas das Américas e utilizadas por civilizações olmecas, incas, astecas e maias, assim como pelas comunidades indígenas no Brasil, que já as cultivavam antes da chegada dos portugueses. Aqui também são conhecidas por jerimum, que significa “pescoço escuro” em tupi, e são produzidas no Norte e no Sul do país.
Independente do tipo, as abóboras oferecem muitos nutrientes importantes à cultura brasileira. Em três colheres de sopa de abóboras cruas ou cozidas é possível consumir boas quantidades de potássio, um mineral essencial ao equilíbrio de líquidos presentes no corpo; fibras alimentares, nutrientes que melhoram o funcionamento do intestino; além das vitaminas C e E, que previnem o envelhecimento precoce das células, já que apresentam grande capacidade antioxidante. Por sua vez, uma colher de sopa de sementes de abóbora assadas, fornece 10% da recomendação de magnésio, um mineral essencial para a saúde dos ossos, e 15% das recomendações de zinco, um mineral fundamental para o crescimento e o desenvolvimento adequado.
Ainda, a polpa da abóbora é fonte de carotenoides, pigmentos naturais com uma importante ação antioxidante, prevenindo o aparecimento de algumas doenças e o envelhecimento precoce das células. Os carotenoides que aparecem em maior quantidade são:
• Betacaroteno: precursor da vitamina A, fundamental para a visão, crescimento, sistema de defesa e saúde da pele. A ingestão de carotenoides contribui para 60% da ingestão dessa vitamina. Alguns estudos sobre a interação deste carotenoide e as vitaminas presentes na abóbora (C e E) mostram a proteção às células que o consumo de abóbora pode representar ao corpo humano.
• Luteína: absorve a luz prejudicial aos olhos, protegendo a mácula dos olhos, responsável pela nitidez da visão.
Conhecidas pela sua versatilidade em preparações doces e salgadas, as abóboras podem ser consumidas com ou sem casca, cozidas, assadas, grelhadas e até mesmo cruas. Suas sementes também são ótimas opções de lanches práticos ou uma alternativa simples para incrementar preparações.

Referências bibliográficas
1. Ministério da Saúde. Alimentos Regionais Brasileiros. Brasília. 2014;2.
2. de Carvalho PGB, Peixoto AAP, Ferreira MAJF. de Caracterização de abóboras quanto aos teores de carotenóides totais, alfa- e beta-caroteno. Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (EMBRAPA). Brasília 2011.
3. Veronezi CM, Jorge N. Carotenoides em abóboras. B.CEPPA. Curitiba. 2011;29(1);9-20.