BLOG

AMENORREIA EM ATLETAS

A amenorreia (pausa na menstruação) é caracterizada pela deficiência precoce de estrogênio, um hormônio feminino cuja função é induzir as células do organismo a proliferar, além de determinar as características femininas e estimular o crescimento de todos os ossos e promover sua calcificação.
Durante o exercício físico são liberados hormônios que podem inibir o eixo hipotálamo-hipófise, responsável pela secreção de hormônios como o estrogênio. Dependendo da intensidade do exercício, da forma do corpo e do peso, além de fatores psicológicos, pode haver alterações na produção hormonal feminina, resultando na amenorreia.
Atletas com amenorreia apresentam anormalidades de hormônios sexuais, distúrbios neuroendócrinos que afetam o hormônio do crescimento (GH) e o padrão de lipoproteínas séricas. O desequilíbrio das concentrações de hormônios sexuais pode levar a perda de cálcio nos ossos aumentando o risco de fraturas e osteoporose, a infertilidade reversível, redução de hormônios secretados pela tireoide e risco aumentado de carcinoma no endométrio.
Para controlar a amenorreia, é importante incentivar a atleta a praticar atividade física moderada, reduzindo de 10 a 20% da carga, que pode ser suficiente para normalizar o ciclo menstrual. No caso de osteopenia, exercícios de força muscular podem ajudar a melhorar o quadro, sendo sempre importante um acompanhamento nutricional adequado para uma dieta balanceada.
Referências bibliográficas:
1. Hott CSM, Duarte SR, Wellington L. Desequilíbrio hormonal e disfunção menstrual em atletas de ginástica rítmica. Rev. Bras. Ciênc. Esporte, 2015;37(3):222-229.
2. Ferreira SAI, Fuini PE. Amenorreia atlética: um problema dos dias atuais. Pensar a Prática, 2011;14(1):1-14.
3. Viana ME, Ferreira, SMG. A tríade da mulher atleta. Femina, 2006;34(8):519-521.