PORTALRGNUTRI

Relatório do Parlamento Europeu explora benefícios dos alimentos e da agricultura orgânica

maio 12, 2017

Relatório publicado em dezembro de 2016 pelo European Parliamentary Research Service analisou mais de 380 referências sobre temas que envolvem alimentação, produção de plantas e de animais, impactos dos agrotóxicos na saúde e meio ambiente, resistência a antibióticos, padrões de alimentação, e apontou caminhos e políticas públicas e suas possíveis consequências na Europa. Os destaques do documento abordaram as seguintes conclusões:

Alimentos orgânicos: o consumo reduz a exposição a agrotóxicos e, portanto, os riscos de intoxicações agudas e crônicas;
Fertilizantes: estudos mostraram as consequências negativas do uso massivo e prolongado do mineral fósforo na agricultura convencional. O principal efeito é a elevação da concentração de cádmio (metal possivelmente cancerígeno) no solo e, consequentemente, nos alimentos ali produzidos;
Criação de animais: foi detectada maior concentração de ácidos graxos ômega 3 no leite, ovos e carne de animais criados no sistema orgânico. Isso decorre da alimentação à base de forragem, e não de rações concentradas. O capim possui alto índice de ômega 3;
Resistência a antibióticos: a utilização excessiva na criação animal é um dos fatores que influenciam na existência de superbactérias resistentes a antibióticos. Na criação orgânica, o uso de antibióticos é reduzido, pois há menos doenças em sistemas não-confinados, e há grande restrição ao uso preventivo, comum na criação de animais convencional.

Ao final do relatório são apresentadas 5 opções de políticas públicas a serem consideradas, a que se destaca é a relacionada a melhora do ambiente de negócios da agricultura orgânica através de incentivos fiscais. Considerando que as doenças causadas pela agricultura convencional representam uma carga para os sistemas de saúde, e que este custo não está incluído no preço dos fertilizantes e agrotóxicos, seria justo uma taxação maior para tais. Estas taxas poderiam, segundo o Parlamento Europeu, ser utilizadas para o desenvolvimento da agricultura orgânica.

 

Referência Bibliográfica
1. European Parliamentary Research Service. Human health implications of organic food and organic agriculture, 2016.